Criação musical a partir de caminhadas em uma cidade do Norte Global e o corte da pandemia:

Uma experiência composicional na cidade de Berlim em meio à quarentena do Covid-19.

Autores

  • Alexandre Sperandéo Fenerich PPGM-Unirio

Palavras-chave:

caminhadas sonoras, Norte e Sul Global, composição musical, pandemia, gravações de campo

Resumo

O texto narra a criação de uma peça musical para voz, sons captados e sons eletrônicos a partir de caminhadas de captação sonora pela cidade de Berlim, Alemanha. O projeto original buscava refletir sobre as desigualdades culturais e sociais contidas em uma cidade global, ou seja, com forte presença imigratória, pela coexistência de povos provindos dos mais diversos países do Sul. A questão que norteava a pesquisa era como esta diversidade se manifesta sonoramente nas ruas. Entretanto, o autor foi surpreendido pela pandemia, que impediu a integralidade de suas captações mas que gerou uma intensa atividade onírica, a qual foi absorvida pela peça musical. Esta atividade refletiu e sobrepôs-se ao material já captado, sendo manifesta pela inclusão, na peça, de trechos de narrativas de sonhos e do conto A Terceira Margem do Rio, de Guimarães Rosa, que espelhava a situação de isolamento linguístico e social do autor – o qual será, também, abordado no texto. Estratégias composicionais para integrar estes conteúdos textuais com o material sonoro bruto encontrado nas ruas também serão apresentadas.

Biografia do Autor

Alexandre Sperandéo Fenerich, PPGM-Unirio

Alexandre Sperandéo Fenerich é Doutor em Musicologia pela USP, com pesquisa sobre a relação entre música concreta, intimidade e voz. Trabalha com composição musical sobre mídias digitais, com foco em live electronics, espacialização aural e performances audiovisuais ao vivo. É professor adjunto do Instituto Villa-Lobos da Unirio e membro do Programa de Pós-graduação em Música da mesma universidade. Foi bolsista pelo edital Capes-Humboldt para pesquisador experiente em 2019-2020, desenvolvendo trabalho de pesquisa na Universität der Künst, Berlin.

E-mail: alexandre.fenerich@unirio.br

Referências

BURROUGHS, W. The Soft Machine. London: Fourth Estate, 2010.

CUSACK, P. Field Recording as Sonic Journalism. In: CARLYLE, Angus; LANE, Cathy (Orgs.). On Listening. Axminster: Uniformbooks, 2013.

CORREIA, M; ASHBY, S & JAN.SSEN, M. Consoante Obstruinte. Portal da Língua Portuguesa. Lisboa: Instituto de Linguística Teórica e Computacional, s. d.. Disponível em http://www.portaldalinguaportuguesa.org/%3Faction%3Dterminology%26act%3Dview%26id%3D1061?action=terminology&query=fricativa. Acesso em 02/07/2021.

GUEDES, K. & FENERICH, A. Entrevista realizada em 06/07/2020.

GUTIERREZ, A. Flâneuse. La caminanta. BREITSAMETER, S. & KARAKIZ, C. The Global Composition 2018 - conference on sound, ecology and media culture - proceedings. Dieburg: Hochschule Darmstadt, 2018.

HIRSCHFELD-MEDALIA, A. The Voice in Wayang and Kabuki. Asian Theatre Journal, vol 1 n. 2, 1984.

JANNEDY, S. & WEIRICH, M. The Acoustics of Fricative Contrasts in Two German Dialects. Proceedings of P&P. Munich: Ludwig Maximilian University of Munich, 2016. Disponível em: https://www.researchgate.net/profile/MelanieWeirich/publication/309292155_The_Acoustics_of_Fricative_Contrasts_in_Two_German_Dialects/links/580889b508ae07cbaa544881/The-Acoustics-of-Fricative-Contrasts-in-Two-German-Dialects.pdf. Acesso em 02/07/2021.

KIM-COHEN, S. In the Blink of an Ear - toward an non-cochlear sound art. New York: Continuum, 2009.

KOTEF, H. Movement and the Ordering of Freedom on Liberal Governances of Mobility. London: Duke University Press, 2015.

MANNIS, J. A. Design de difusores sonoros a partir do processo serial: adequação acústica de pequenas salas a performance e audição musical. 2008. Tese (Doutorado em Música). Instituto de Artes, Universidade Estadual de Campinas, 2008.

MASCI, F. L'ordre Règne à Berlin. Paris: Allia, 2013.

OLIVEIRA, R. A. Glitch Music. Juiz de Fora: Dissertação (Mestrado em artes). Universidade Federal de Juiz de Fora, Instituto de Artes e Design, 2016.

PRECIADO, P. Aprendiendo del Virus: la gestión política de las epidemias pone em escena la utopía de comunidad y las fantasías immunitárias de una sociedad, externalizando sus sueños de omnipotencia de su soberanía política. El País, Madrid, 28 de março de 2020.

ROSA, J. G. Primeiras Estórias. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2016.

SANTOS, B. Épistémologies du Sud. In: Études Rurales. No 187. Open Editions, 2011.

SANTOS, F. C. Por uma escuta nômade: a música dos sons da rua. São Paulo: Editora da PUC-SP, 2002.

SANTOS, M. Elogio da Lentidão. Folha de São Paulo, São Paulo, 11 mar. 2001.

SANTOS, M. Técnica Espaço Tempo - Globalização e meio técnico-científico informacional. São Paulo: Hugitec, 1997.

WIKIPEDIA. Cut-up Technique. Disponível em: https://en.wikipedia.org/wiki/Cut-up_technique. Acesso em: 30/10/202

WIKIPEDIA.The Soft Machine. Disponível em: https://en.wikipedia.org/wiki/The_Soft_Machine. Acesso em 30/10/2020.

Downloads

Publicado

26/10/2021

Como Citar

FENERICH, A. S. Criação musical a partir de caminhadas em uma cidade do Norte Global e o corte da pandemia:: Uma experiência composicional na cidade de Berlim em meio à quarentena do Covid-19. Revista Trilhos, Santo Amaro, Bahia, v. 2, n. 1, p. 66-85, 2021. Disponível em: https://revistatrilhos.com/home/index.php/trilhos/article/view/47. Acesso em: 3 dez. 2021.

Edição

Seção

Dossiê Mobilidades, Controle e Resistência: Jornadas e Inclusões Diferenciadas.
Recebido em: 15/04/2021
Publicado em: 26/10/2021