Rap de mensagem e conhecimento de oposição

a comunicação do 5E no hip-hop e sua manifestação dentro do rap brasileiro

Autores

  • Gabriel Gutierrez

Palavras-chave:

hip-hop, rap de mensagem, conhecimento, comunicação, quinto elemento

Resumo

A proposta deste artigo é investigar a epistemologia ligada ao rap. Para isso, mobilizamos o conceito de “quinto elemento” (5E) da cultura hip-hop, um conceito nativo reconhecido pelos atores da cena, cuja genealogia pode nos ajudar a pesquisar as potencialidades e limites desse “saber musical”. O objetivo do trabalho é localizar dentro dessa música afrodiaspórica, forjada por corpos periféricos no Brasil e nos EUA, uma dinâmica própria para a produção de conhecimento válido. Dinâmica essa que se dá no encontro de práticas culturais dissidentes com signos da cultura pop.

Referências

ASANTE, Molefi Kete. Afrocentricidade como Crítica do Paradigma Hegemônico Ocidental: Introdução a uma Ideia. Ensaios Filosóficos. Tradução. Rio de Janeiro, p. 9-18. volume XIV, dezembro/2016.

Baldwin, Davarian L. 2004. Black empires, white desires: The spatial politics of identity in the age of hip hop. In: That's the Joint! The Hip Hop Studies Reader, edited by Murray Forman and Mark Anthony Neal. London: Routledge, 2004.

Boyd, Todd. 2004. "Check Yo Self Before you Wreck Yo Self: The Death of Politics in Rap Music and Popular Culture." In: That's the Joint! The Hip Hop Studies Reader, edited by Murray Forman and Mark Anthony Neal. London: Routledge, 2004.

CAMARGOS, R. Rap e política: percepções da vida social brasileira. São Paulo: Boitempo Editorial, 2015.

D’ANDREA, T. P. A formação dos sujeitos periféricos: cultura e política na periferia de São Paulo. São Paulo: FFLCH, 2013.

DYSON, M. E. The culture of hip-hop. In: That's the Joint! The Hip Hop Studies Reader, edited by Murray Forman and Mark Anthony Neal. London: Routledge, 2004.

FERNANDES, C. S.; HERSCHMANN, M.; GUTIERREZ, G. Entre o corte da espada e o perfume da rosa: uma estética da existência no rap dos Racionais MC’s. Cadernos de Estudos Culturais, v. 8, n. 16, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufms.br/index.php/cadec/article/view/4223. Acesso em: 20/3/2020.

GARCIA, W. Elementos para a crítica da estética do Racionais MC’s (1990-2006). Idéias, v. 4, n. 2, p. 81-108, 2013. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ideias/article/view/8649382 Acesso em: 20/3/2020.

______. Ouvindo Racionais MC's. Teresa, n. 4-5, p. 166-180, 2003. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/teresa/article/view/116377. Acesso em: 30/4/2015.

GILROY, P. O Atlântico Negro: modernidade e dupla consciência. São Paulo. Editora 34, 2001.

Gosa, Travis L. 2015. The Fifth Element: Knowledge. In The Cambridge Companion to Hip-Hop. Edited by Justin A. Williams. Cambridge: Cambridge University Press, pp. 56–70. .

GUTIERREZ, G.. É o Rap RJ: a cultura da música e as práticas comunicacionais da cena de rap do Rio de Janeiro/ Gabriel Gutierrez Mendes. – 2021.Tese (Doutorado) – Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Disponível em: https://www.bdtd.uerj.br:8443/handle/1/17546. Acesso em: 18/2/2021

______. O Rap contra o racismo: a poesia e a política dos Racionais MC’s. Animus. Revista Interamericana de Comunicação Midiática, v. 14, n. 27, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/animus/article/view/17872. Acesso em: 18/2/2021

______. Efeito Colateral que o seu Sistema fez. Revista Sociologia em Rede, v. 6, n. 6, 2016. Disponível em: https://silo.tips/download/efeito-colateral-que-o-seu-sistema-fez-o-rap-politic o-dos-racionais-mc-s-e-a-cid. Acesso em 12/2/2021.

HALL, Stuart. Que negro é esse na cultura negra? In: Da diáspora: Identidades e mediações culturais. Org: SOVIK, Liv. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003

HEBDIGE, D. Rap and Hip-Hop. In: That's the Joint! The Hip Hop Studies Reader, edited by Murray Forman and Mark Anthony Neal. London: Routledge, 2004.

HERSCHMANN, M. O funk e o hip-hop invadem a cena. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2000.

JUDY, R. A. On the Question of Nigga Authenticity. In: That's the Joint! The Hip Hop Studies Reader, edited by Murray Forman and Mark Anthony Neal. London: Routledge, 2004.

KEHL, M. R. Radicais, raciais, racionais: a grande fratria do rap na periferia de São Paulo. São Paulo em perspectiva, v. 13, n. 3, p. 95-106, 1999. Disponível em: https://www.scielo.br/j/spp/a/7DjwY79M59dvqDbxssRGvVR/?lang=pt. Acesso em 12/2/2021.

KELLEY, Robin DG; PERKINS, William Eric. Droppin'science: Critical essays on rap music and hip hop culture. 1996.

LUSANE, C. Rap, race and politics. In: That's the Joint! The Hip Hop Studies Reader, edited by Murray Forman and Mark Anthony Neal. London: Routledge, 2004.

MOHAIEMEN, N., 2008. Fear of a Muslim planet: hip hop’s hidden history. In: Miller, P.D. (Ed.), Sound Unbound: Sampling Digital Music and Culture. MIT Press, London

MOURA, A. O Ciclo dos Rebeldes: processos de mercantilização do rap carioca. Dissertação de Mestrado. UERJ, 2017. Disponível em: https://d1wqtxts1xzle7.cloudfront.net/55671162/O_Ciclo_dos_Rebeldes_proces sos_de_mercantilizacao_do_Rap_RJ_FINAL-with-cover-page-v2.pdf?Expires=1661 208106&Signature=EEDLIceZHeHq1BKCFtXN6BNhWkziU9~Xvov3hi6cOjSkJ1Y1~Xnp sTE35Y5dBV-~EdH8yEfmU12rZMuxrvo7Y2~zX713wrEhSnmQ~wY4TSPft8qE8bFOvCH bbypvWa5U3stnkgEJptIZOEYB-nxbmXqHDlYKRTsVrAyVK1fztjdGu1ypFpLIKxtYdgWv Pz6mFjnye7DSTCD-HJakpddK6wLVuBhaNo8TYL4ToJxoxQw3NVCrsUzwsRA1qoWDH~ba5tLZ00gNJ85D-vXT-QYBUkI4C4W6lyFY3HwynUIIrQ16KOpRIc0yR0baBu-vAupT3K RBlGVT5vDrX31A9TmhKQ__&Key-Pair-Id=APKAJLOHF5GGSLRBV4ZA. Acesso em 12/2/2021.

NOGUERA, Renato. “Sambando para não sambar: afroperspectivas filosóficas sobra a musicidade do samba e a origem da filosofia” In SILVA, Wallace (organizador). Sambo, logo penso: afroperspectivas para pensar o samba. Rio de Janeiro: Héxis/Biblioteca Nacional, 2015, pp.31-55. .

NEAL, M. A. Postindustrial soul: Black popular music at the crossroads. In: That's the Joint! The Hip Hop Studies Reader, edited by Murray Forman and Mark Anthony Neal. London: Routledge, 2004.

OLIVEIRA, L. S.; SEGRETO, M.; CABRAL, N. L. S. C. Vozes periféricas: expansão, imersão e diálogo na obra dos Racionais MC's. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, n. 56, p. 101-126, 2013. Disponível em https://www.scielo.br/j/rieb/a/7bqF8bDntmKLkRX3h6JVZpv/abstract/?lang=pt. Acesso em: 12/2/2021.

PIMENTEL, S. O livro vermelho do hip hop. São Paulo: USP, 1997.

PINHO, O. Voz Ativa: rap–notas para leitura de um discurso contra hegemônico. Sociedade e cultura, v. 4, n. 2, 2001. Disponível em: https://revistas.ufg.br/fcs/article/view/528. Acesso em: 12/2/2021.

PINHO, O; ROCHA, E. Racionais MC's: cultura afro-brasileira contemporânea como política cultural. Afro-Hispanic Review, p. 101-114, 2011.Disponível em: https://www.jstor.org/stable/23617161. Acesso em: 12/2/2021.

QUIJANO, A. Colonialidade, poder, globalização e democracia. Novos rumos, v. 37, n. 17, p. 4-28, 2002.

RASHID, K. Start the revolution: hip hop music and social justice education. Journal of Pan African Studies.v.9, no4, 2016. Disponível em: http://www.jpanafrican.org/docs/vol9no4/JuneJuly-20-Rashid.pdf. Acesso em: 18/3/2021.

ROCHA, E. Senhor de engenho, eu sei bem quem você é: Racionais MC’s e a desconstrução Político-Cultural da Nacionalidade. In: Congresso Luso Afro Brasileiro de Ciências Sociais: diversidades e (des) igualdades, 2011.

SALLES, E. Poesia revoltada. Aeroplano, Rio de Janeiro, 2007. SODRÉ, M. Pensar nagô. Rio de Janeiro: Editora Vozes, 2017.

TAKEUTI, N. M. Refazendo a margem pela arte e política. Nómadas, n. 32, 13-25, 2010.Disponível em: http://www.scielo.org.co/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0121-75502010000 100002. Acesso em 13/3/2021.

TEPERMAN, R. Se liga no som: as transformações do rap no Brasil. Editora Companhia das Letras, 2015.

TOOP, D. Uptown throwdown. In: That's the Joint! The Hip Hop Studies Reader, edited by Murray Forman and Mark Anthony Neal. London: Routledge, 2004.

ZENI, B. O negro drama do rap: entre a lei do cão e a lei da selva. Estudos avançados, v. 18, n. 50, p. 225-241, 2004.Disponível em: https://www.scielo.br/j/ea/a/pGQS88DXCXMbgjTQNwJwxqw/?lang=pt. Acesso em: 18/3/2021.

Downloads

Publicado

17/11/2022

Como Citar

GUTIERREZ, G. Rap de mensagem e conhecimento de oposição: a comunicação do 5E no hip-hop e sua manifestação dentro do rap brasileiro. Revista Trilhos, Santo Amaro, Bahia, v. 3, n. 1, p. 110–126, 2022. Disponível em: https://revistatrilhos.com/home/index.php/trilhos/article/view/90. Acesso em: 28 nov. 2022.

Edição

Seção

Dossiê Práticas sonoro-musicais: raças, gêneros e conexões comunicacionais