Senta a bunda

performance, gestosfera e branquitude na análise de videoclipes

Autores

  • Thiago Soares UFPE
  • Winglison Henrique do Nascimento Tenório UFPE

Palavras-chave:

Performance, Branquitude, Videoclipe, Funk, Gestosfera

Resumo

O artigo propõe debater como a branquitude moraliza o funk a partir da análise do videoclipe "Bunda Lê Lê" (2020) de Adriana Calcanhotto e Dennis DJ, observando o tensionamento dos gêneros musicais funk e MPB na cultura musical brasileira. Recorre-se a uma metodologia que articula as noções de escuta conexa (JANOTTI JR., 2020) e performance (TAYLOR, 2013) aplicadas a análise de videoclipe (SOARES, 2014). Utiliza-se como protocolo investigativo, as noções de movimento, gesto e gestosfera (GODARD, 2003) para retomar a importância da bunda nas culturas latinas (TORO, 2020) e africanistas (GOTTSCHILD, 2003) e o rebolado no funk como uma ciência generificada e racializada (MACHADO, 2020). Postula-se um conjunto de acionamentos de disputas e tentativas de moralização da bunda no funk como questões ligadas ao privilégio da branquitude.

Referências

ALMEIDA, Lais Barros Falcão De. A MPB em mudança: cartografando a controvérsia da nova MPB Recife. 2016. 143 f. Universidade Federal de Pernambuco, 2016.

ALMEIDA, Lais Barros Falcão De e JANOTTI JR., Jeder. Movimento de Renovação da MPB ou um Novo Gênero Musical? Discussões sobre a Nova MPB. Associação Latino Americana de Investigadores em Comunicação, 2014. Disponível em: https://congreso.pucp.edu.pe/alaic2014/wp-content/uploads/2013/09/GT11-d e-Almeida-Junior.pdf. Acessado em 09 de mar. de 2022.

BRÊDA, Lucas. Adriana Calcanhotto canta ‘funk da quarentena’ em disco feito em isolamento. Folha de São Paulo. 28 de mai. de 2020. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2020/05/adriana-calcanhotto-canta-f unk-da-quarentena-em-disco-feito-em-isolamento.shtml. Acessado em 19 de ago. de 2020.

CACERES, Guillermo e FERRARI, Lucas e PALOMBINI, Carlos. A Era Lula/Tamborzão política e sonoridade. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, n. 58, p. 157, 30 Maio 2014. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/rieb/article/view/82394. Acessado em 09 de mar. de 2022.

DYER, Richard. White. New York: Routledge, 1997.

GODARD, Hubert. Gesto e Percepção. SOTER, S.; PEREIRA, R. (Org.). Lições de

Dança 3. Rio de Janeiro: UniverCidadeEditora, 2003.

GOTTSCHILD, Brenda Dixon. The Black Dancing Body: A geography from coon to

cool. New York: Palgrave Macmillan, 2003.

GUIMARÃES, Felipe. Anitta publica texto no instagram rebatendo críticas negativas sobre sua vida. Gazeta Wen. 02 de jun. de 2019. Disponível em: https://gazetaweb.globo.com/portal/noticia/2019/06/anitta-publica-texto-no-i nstagram-rebatendo-criticas-negativas-sobre-sua-vida_78116.php. Acessado em 28 de nov. 2020.

JANOTTI JR., Jeder. Reconfigurações do pop e o lugar da escuta conexa em ecossistema de mídias de conectividade. SÁ, S. P. DE; AMARAL, A.; JANOTTI JR., J. (Org.). Territórios afetivos da imagem e do som. Belo Horizonte, MG: Fafich/Selo PPGCOM/UFMG, 2020. p. 23–40.

JANOTTI JR., Jeder e QUEIROZ, Tobias Arruda. Deixa a Gira Girar: as lives de Teresa Cristina em tempos de escuta conexa. 43o Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação., no Anais Temporários. Salvador, BA: [s.n.], 2020. Disponível em: http://www.intercom.org.br/sis/eventos/2020/resumos/R15-1990-1.pdf. Acessado em 09 de mar. de 2022.

LIMA, Dani. Gesto, Corporeidade, Ética e Política: Pensando Conexões e Diálogos. Simpósio Internacional Repensando Mitos Contemporâneos, p. 12–17, 2018. Disponível em: https://www.publionline.iar.unicamp.br/index.php/simpac/article/view/1185/ 1283.

MACHADO, Taísa. Taísa Machado, o Afrofunk e a Ciência do Rebolado. 1. ed. Rio de Janeiro: Cobogó, 2020.

MOLINA-GUZMÁN, Isabel. Dangerous Curves. New York: NYU Press, 2010.

PEREIRA DE SÁ, Simone e DALLA VECCHIA, Leonam. O álbum visual Kisses e a construção da star persona de Anitta. SÁ, S. P. DE; AMARAL, A.; JANOTTI JR., J. (Org.). Territórios afetivos da imagem e do som. Belo Horizonte, MG: Fafich/Selo PPGCOM/UFMG, 2020. p. 65–90.

SOARES, Thiago. Construindo imagens de som & fúria: considerações sobre o conceito de performance na análise de videoclipes. Contemporânea: Comunicação e Cultura, v. 12, n. 02, p. 323–339, 2014. Disponível em: https://portalseer.ufba.br/index.php/contemporaneaposcom/article/view/1072 1. Acessado em 09 de mar. de 2022.

TAYLOR, Diana. O arquivo e o repertório: performance e memória cultural nas Américas. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2013.

TORO, Ana Teresa. Por que as bundas de JLo e Shakira incomodam?. El País. 16 de fev. de 2020. Disponível em: https://brasil.elpais.com/eps/2020-02-17/por-que-as-bundas-de-jlo-e-shakira-in comodam.html. Acessado em 19 de ago. de 2020.

TROTTA, Felipe Da Costa. A música que incomoda: o Funk e o Rolezinho. In: ANAIS DO 23° ENCONTRO ANUAL DA COMPÓS, 2014, Belém. Anais eletrônicos... Campinas, Galoá, 2014. Disponível em: https://proceedings.science/compos-2014/papers/a-musica-que-incomoda--o-fu nk-e-o-rolezinho. Acessado em 09 de mar. de 2022.

WERNECK, Natash. Anitta responde comentários ofensivos e é acusada de 'incentivar estupro'. Portal Uai E+. 05 de nov. de 2020. Disponível em: https://www.uai.com.br/app/noticia/e-mais/2020/11/05/noticia-e-mais,26454 1/anitta-responde-comentarios-ofensivos-e-e-acusada-incentivar-estupro.shtml. Acessado em 28 de nov. de 2020.

Downloads

Publicado

17/11/2022

Como Citar

SOARES, T.; TENÓRIO, W. H. do N. Senta a bunda: performance, gestosfera e branquitude na análise de videoclipes. Revista Trilhos, Santo Amaro, Bahia, v. 3, n. 1, p. 94–109, 2022. Disponível em: https://revistatrilhos.com/home/index.php/trilhos/article/view/89. Acesso em: 28 nov. 2022.

Edição

Seção

Dossiê Práticas sonoro-musicais: raças, gêneros e conexões comunicacionais