A comunicação como semiogênese

do díspar ao signo

Autores

  • André Corrêa da Silva de Araujo UFRGS - Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Demétrio Rocha Pereira UFRGS - Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Alexandre Rocha da Silva UFRGS - Universidade Federal do Rio Grande do Sul http://orcid.org/0000-0002-1194-6438

Palavras-chave:

Comunicação, Semiogênese, Transdução, Simondon, Deleuze

Resumo

“A comunicação como semiogênese: do díspar ao signo” objetiva compor o pensamento de Gilbert Simondon com o de Gilles Deleuze, especialmente naquilo que concerne à concepção dos autores franceses acerca da comunicação e do signo em séries divergentes e paralelas. A primeira série apresenta as bases da teoria simondoniana da individuação e da transdução - em nossa visão, essencialmente comunicativas - para a investigar como a ontogênese simondoniana poderia vir a se constituir também em uma semiogênese. A segunda série, de inspiração deleuzeana, visa investigar de que forma o signo, paradoxalmente produtor e produto do processo de individuação, constitui-se em elemento capaz de produzir encontros entre divergentes num processo comunicacional que tem por base as figuras do conflito e do díspar. Assim, advogamos uma concepção de comunicação semiótica cujos contornos não se reduzem nem ao realismo objetivo nem às instâncias da subjetividade, uma concepção de comunicação transindividual, perspectivista e transdutiva.

Referências

COMBES, Muriel. Simondon: una filosofía de lo transindividual. Buenos Aires: Cactus, 2017.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil Platôs: capitalismo e esquizofrenia 2, vol. 4. São Paulo: Editora 34, 1997.

DELEUZE, Gilles. Nietzsche e a Filosofia. Rio de Janeiro: Editora Rio, 1976.

DELEUZE, Gilles. Conversações. São Paulo: Editora 34, 2013.

DELEUZE, Gilles. Diferença e Repetição. São Paulo: Graal, 2009.

DELEUZE, Gilles. Lógica do Sentido. São Paulo: Perspectiva, 2011.

DELEUZE, Gilles. O Método da Dramatização. in. LAPOUJADE, David. A Ilha Deserta. pps. 129-154. São Paulo: Iluminuras, 2006.

NASCIMENTO, Roberto Duarte Santana. Teoria dos Signos no Pensamento de Gilles Deleuze. Tese de Doutorado. Unicamp, 2014.

SALES, Alessandro Carvalho. Deleuze: Pensamento e Acordo Discordante. São Carlos: EDUFSCAR, 2016.

SAUSSURE, Ferdinand de. Curso de linguística geral. São Paulo: Cultrix, 2006.

SAUVAGNARGUES, Anne. Deleuze: L’Empirisme Transcendantal. Paris: PUF, 2009.

SIMONDON, Gilbert. L'individuation à la lumière des notions de forme et d'information. Grenoble: Éditions Jérôme Millon, 2013.

TARDE, Gabriel. Monadologia e sociologia – e outros ensaios. São Paulo: Cosac Naify, 2007.

ZOURABICHVILI, François. Deleuze: Filosofia do Acontecimento. São Paulo: Editora 34, 2016.

Downloads

Publicado

19/10/2020

Como Citar

ARAUJO, A. C. da S. de; PEREIRA, D. R.; SILVA, A. R. da. A comunicação como semiogênese: do díspar ao signo. Revista Trilhos, Santo Amaro, Bahia, v. 1, n. 1, p. 92-106, 2020. Disponível em: https://revistatrilhos.com/home/index.php/trilhos/article/view/10. Acesso em: 14 maio. 2021.

Edição

Seção

Artigos
Recebido em: 10/09/2019
Aceito em: 26/03/2020
Publicado em: 19/10/2020